quinta-feira, 9 de julho de 2015

Desamor

1.Falta de amor devidodesafeiçãodesdémódio.





Pessoas que estão infelizes no relacionamento, mas, por dinheiro, não largam a corda.
Pessoas que batem no peito dizendo que são bem sucedidas, mas por mérito de outrem.
Pessoas que se escondem atrás de uma irmandade, mas tem atitudes contraditórias.
Pessoas que tê várias faculdades no currículo, se acham melhores do que outros por isso, mas esquecem do principal: humildade.
Pessoas que não tem nada pra fazer e resolvem ir encher o saco de alguém do passado, pra arrumar briga de graça.

Fatos que eu tenho presenciado nas últimas semanas e que me levou a refletir sobre minha vida. Não, não julgo ninguém. Não sou ninguém pra isso e tenho meus muitos erros e pecados. Mas esses fatos me deixaram triste sim. Tem sido difícil dormir nos últimos dias. Muita energia negativa. Muito desrespeito. Muito desamor.

Cadê a compaixão? Cadê o respeito? Cadê humildade? Pra quê tanta violência verbal? (e em alguns desses casos, quase que física).
É engraçado que, até bem pouco tempo atrás, eu me sentia tão inferior as pessoas. Me escondia. Tinha vergonha de mim. Me sentia coitada. Passado meu período negro, hoje em dia, convivendo mais com as pessoas a minha volta, vejo que estão todas no mesmo barco que o meu.
Consigo olha-los com compaixão. Estendo a mão. Depois de ter aprendido (e ainda apreendendo) a viver de acordo com o problema que abracei, compreendi que pra ficar em paz comigo mesma, é de extrema importância que eu tenha amor próprio e humildade. Desejo o mesmo aos meus amigos. Desejo que cada um olhe para dentro de si e resgate seu melhor. Que casa um viva a sua maneira, e não a maneira do outro.
Mais amor gente. E sem favor!


"Não sou o mais comentado, porém
Talvez eu seja o mais consciente
Que ninguém é mais que ninguém
Pois bem
A sorte foi lançada, a ultima jornada
Te vejo na chegada
Sei que cada pegada minha tem sangue e suor
Porque eu me preocupei em fazer bem
E não em ser melhor
Chega pra somar, ou então suma
Falar só por falar é mato, então resuma"
Projota- Foco, força e fé



Status: Tentando me manter de pé e serena no meio desse turbilhão todo!

7 comentários:

  1. Infelizmente encontramos essas pessoas com muita facilidade. Belíssima postagem crítica. Beijinhos.

    ResponderExcluir
  2. Muita sabedoria por aqui.

    Beijinhos

    te seguindo...

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto e seu blog,Mariana.

    Li seu comentário no Blog do Samuel e resolvi conhecer seu cantinho.

    Parabéns!


    Beijos sabor carinho e linda semana


    Donetzka

    Blog Magia de =
    Donetzka

    ResponderExcluir
  4. Eu adorei demais isso: "Mais amor... e sem favor!"
    Fato. As pessoa precisam. e ponto!

    Um beijo,
    Re

    ResponderExcluir
  5. Boa tardem publicação sabia, escreve como conhecedora de certas pessoas que usam sorrisos e gestos sintéticos, " nem tudo que parece é."
    AG

    ResponderExcluir
  6. Desabafe, querida Mariana, desabafe! Eu estou aqui pra escutar você, embora não seja Psicóloga, e esquecer tudo o resto.
    As palavras que encimam seu texto são fabulosas e bem certeiras. "Engole-se cada sapo", k nem te conto!
    Seu texto é profundo demais. Reflexivo, construtivo e mto real. Você escreve maravilhosamente bem e sabe pôr o "dedo na ferida".
    A sociedade está assim "organizada", melhor escrevendo, desorganizada, mas temos de combater algumas irregularidades, nem que seja com a escrita, desabafando, como você fez aqui.

    SE AME E SE MIME MUITO. ESSA É A CHAVE.

    Boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Oi, Mariana!

    Que bom que você veio!
    Agradeço suas gentis palavras.
    Qto a me seguir, de facto, não tenho em meu blogue links de outros blogs, por opção. Normalmente, vou ao anterior comentário k o/a amigo/a deixou em meu blog, e pronto, questão resolvida.
    Estou olhando a lateral dta de seu blog, e vejo aqui nomes de blogs que você segue. Se pretender, é só colocar aí o nome do meu: AUSENTE DO CÉU. Obrigada!

    Boa sexta e bom fim de semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir

"Já que se há de escrever, que pelo menos não se esmaguem com palavras as entrelinhas."

Clarice Lispector

Pesquisar